MATÉRIAS RELACIONADAS




IV Festa da Semente Crioula acontece no dia 28 de janeiro, em Seberi

Evento acontece nas dependências da Cooperbio, na Linha Tesoura, em Seberi (Foto: Divulgação/ Marcos

Evento acontece nas dependências da Cooperbio, na Linha Tesoura, em Seberi (Foto: Divulgação/ Marcos

PUBLICADO EM 11/01/2018

O Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) confirmou a realização da IV edição da Festa da Semente Crioula, a ser realizada nas dependências da Cooperbio, na Linha Tesoura, em Seberi. A data referencial é o domingo, 28 de janeiro, com atividades durante todo o dia. Embora a programação ainda esteja sendo formulada, já foram confirmadas a feira de produtos orgânicos e agroecológicos pela manhã, almoço com cardápio típico camponês ao meio dia, exposição e partilha de amostras de sementes crioulas, bem como festejos populares com música e apresentações culturais.

  Uma das atrações da festa é a Caravana Clodomir de Moraes, ação de ativismo cultural executada durante o ano de 2017 em estados do Nordeste e que pela primeira vez vem ao sul, trazendo intervenções teatrais, música e a partilha das experiências vividas no percurso percorrido em meio as comunidades camponesas. Também serão realizadas as tradicionais rodas de conversa, troca de experiências e palestras que trazem como temas centrais a preservação da semente crioula e a adoção do sistema de produção agroecológico.

  Mais informações podem ser obtidas com os representantes locais do MPA, pelo telefone (55) 999 634 234 ou pelo e-mail cooperbio.alimergia@gmail.com.

  O que são sementes crioulas?

  São sementes guardadas, reproduzidas e melhoradas milenarmente por comunidades tradicionais. Elas são mantidas e selecionadas por várias gerações através dos agricultores camponeses. Guardam em si a riqueza da seleção natural e, por isto, devem ser preservadas e disseminadas. Normalmente são sementes que vieram de plantas cultivadas organicamente, sem uso de pesticidas, inseticidas ou adubos químicos, comprovando que é possível descartar esse tipo de produtos nocivos, bem como evitar que se recorra a sementes geneticamente modificadas. Os fundamentos dessa cultura estão na tradição passada de pai para filho, na troca, na agroecologia, na defesa da diversidade de plantas e cultivos e na preservação das espécies nativas.