MATÉRIAS RELACIONADAS




A nova master coach ontológico de Frederico Westphalen

Divulgação/ Arquivo Pessoal

Divulgação/ Arquivo Pessoal

PUBLICADO EM 30/01/2018

A coach Debora Dalegrave encerrou, no último final de semana, a sua formação em Master Coach Ontologico, que teve a duração de oito meses, sendo 120 horas presenciais, 480 horas virtuais, 80 horas práticas. Neste período, a profissional desenvolveu no decorrer deste período colóquios com uma turma de coachee's em Frederico Westphalen, abordando e desenvolvendo as temáticas propostas durante a formação. A formação foi ministrada pelo master coach Renzo Alfaro Guillen (diretor geral da Uno Coaching Group), do Peru e os encontros presenciais ocorreram na cidade de Brasília/DF.

O que é Coaching Ontológico

O Coaching Ontológico, desenvolve um processo de aprendizagem que dá suporte e auxilia para o atingimento de um objetivo específico, seja uma tomada de decisão, uma mudança de comportamento, uma meta profissional ou outra coisa que se queira transformar em si ou para si. Sendo baseada na Ontologia da Linguagem, metodologia desenvolvida a partir das teorias de alguns pensadores chilenos como Humberto Maturana e Rafael Echeverria.

Os proponentes do coaching ontológico acreditam que, como somos pessoas que significam a si mesmas e ao mundo por meio das distinções que fazemos, faz todo sentido que esse seja o ponto de partida para a transformação: a linguagem Quando investigamos, refletimos e ampliamos a forma de pensar e falar criamos um novo mundo, infinito em suas possibilidades. A principal diferença é que o coaching ontológico, apresenta é a proposta de alterarmos a forma de observar o mundo, conseguindo alterar os resultados das ações; sugerindo uma reflexão para si, sem o contorno limitante que o mundo impõe como rótulo do que e como deve ser (nossos julgamentos).

 O tripé do coaching ontológico é formado pela consciência, responsabilidade e aprendizagem (pedidos, ofertas, promessas, escuta, julgamentos, meu observador; afirmações e declarações). Três pilares que reconstroem a forma de enxergar as diversas situações da vida, ao ampliar a consciência de si, ao redirecionar para si a responsabilidade sobre as questões e ao gerar aprendizado, que é a capacidade de fazer diferente. Em resumo, a ontologia nos proporciona o despertar para o desejo de uma autoconstrução do meu "novo EU", fortalecendo-o como ser genuíno e autônomo, criativo e que busca o seu bem-estar.