MATÉRIAS RELACIONADAS




Tipos de Liderança e o seu impacto numa organização

O líder se torna o centro do desafio porque as organizações precisarão se transformar para sobreviver no longo prazo.

O líder se torna o centro do desafio porque as organizações precisarão se transformar para sobreviver no longo prazo.

PUBLICADO EM 25/08/2016

O CONGREGARH conexão 2016 que acontece em SP em agosto divulga a pauta com dois temas fundamentais no ambiente corporativo: Liderança e Resultado, cujo objetivo  é refletir sobre o poder da liderança na superação de resultados. A liderança é a arte de conduzir pessoas a alcançar, com êxito, os resultados planejados.

Nunca se pensou tanto em liderança como o instrumento determinante para driblar e fazer gol, mesmo em estado de crise da crise.

Reclamar não é a saída, mas sim preparar uma equipe e nação mais fortes. Olhar para o amanhã, cuidando muito bem do presente, acreditando que são as pessoas que ajudarão a alcançar o resultado tão desejado.

Mas, afinal, essa capacidade de influenciar e direcionar um grupo é um dom natural ou uma competência que pode ser desenvolvida ao longo da vida?

Para muitos estudiosos, as duas coisas podem acontecer e, ainda que seja uma característica intrínseca, a liderança precisa ser aperfeiçoada no decorrer do desenvolvimento da pessoa e é preciso que se concentre esforços não só nas ideias e produtos, mas principalmente nas atitudes que caracterizam a psicogeografia das virtudes e dos valores. Pode-se afirmar que há inúmeras teorias e modelos de lideranças e esse assunto não se esgota pois é dinâmico e atemporal.  

Mesmo assim, através da catalogação, alguns dos modelos mais acentuados são: o liberal, o democrático, o autocrático e o visionário. Apenas enquadrar não acrescenta performance pois a infinidade de combinações entre os tipos de liderança e a diversidade de intervenções não facilita traçar perfis exatos, considerando que cada um vai se destacando menos ou mais, diante da conduta e das vivências rotineiras.

O líder se torna o centro do desafio porque as organizações precisarão se transformar para sobreviver no longo prazo, frente às crescentes demandas de clientes, funcionários e da própria sociedade, enquanto precisa suportar suas operações do dia a dia para atingir resultados sustentáveis.

O mercado está carente de líderes que entendam o contexto no qual estão inseridos e que se reinventem a cada momento, a cada demanda. A liderança contemporânea deve usar seu poder pessoal para desenvolver novos líderes, com um olho no cenário externo e outro na organização. Seus valores e suas virtudes tem o poder de mover pessoas. O líder é um profissional único, que sabe como pode usar de seu impacto para buscar resultados surpreendentes através das pessoas, aceita a incerteza sem permanecer nela, procura estar atento às tendências sentindo como dever:  o preparo, e isso é desenhar as etapas, é ser um equilibrista que não pode errar, e acima de tudo, ele precisa ter inúmeras virtudes empáticas e inda ele é tocado por um gosto raro e simples, o gosto por gente.

Perfil do líder mais valorizado do mercado

Esse, apresenta desafios e novidades motivadoras para seu time, ele cria um ambiente colaborativo e empreendedor favorável a evolução profissional e ao alcance das metas da empresa. É aquele que sabe delegar com assertividade, uma vez que identifica as capacidade individuais de cada um de seus liderados e as utiliza para potencializar o trabalho, estimulando as competências, conduz projetos em parceria, leva em conta as opiniões dos colaboradores e os motiva a confiarem no trabalho desenvolvido.

Como você pode observar, existem diversas teorias e modelos de liderança, além de diferentes perfis de líder. Na real, chega-se à conclusão de que um bom líder sabe ser carismático e íntegro, ouvir e motivar os outros, compartilhar experiências e tomar decisões. Ele conquista o respeito dos liderados por seus exemplos e é dono de virtudes distintas que o ajudam a encarar desafios de forma otimista e criativa. É justamente esse tipo de líder capaz de compartilhar o conhecimento, treinar, delegar, acompanhar, inspirar e mobilizar os colaboradores que as empresas procuram.