MATÉRIAS RELACIONADAS




Igualdade X Singularidade

Fotos: Vanessa Harlos / Ilustração

Fotos: Vanessa Harlos / Ilustração

PUBLICADO EM 31/08/2018

Na dicotomia em que vivemos, sempre que um grupo se mobiliza num caminho, outro grupo abre nova frente e mostra novos caminhos em outros sentidos. Estas situações típicas de nossos tempos são fundamentais para estender as fronteiras do pensamento e das ações da coletividade. Observamos os movimentos e campanhas pela igualdade, que embora tenham iniciado há séculos, ainda tem muito para desenvolver entre nós.

Ao passo em que precisamos pregar a igualdade de direitos e acessos, é importante que as pessoas sejam entendidas e se entendam como singulares, seja para não se perderem na multidão, nem serem confundidas com uma massa de igual forma, caráter, atitudes, necessidades, desejos. Neste sentido, vem surgindo com força várias iniciativas pelo mundo, destacando a importância e o poder da singularidade. Singular é o termo utilizado para referência ao que é único, individual, distinto, original, notável, ímpar. Cada ser humano, no seu conjunto físico, mental, emocional e espiritual é assim: único, singular, ímpar.

A tecnologia, o espírito coletivo, a informação, o aumento dos níveis de educação devem levar a humanidade para maiores níveis de igualdade de direitos e acessos. As entidades públicas e comunitárias, os governos, as empresas tem este papel e foram instituídas para isso. Por outro lado, quanto maior a igualdade de direitos e acessos for desenvolvida, maior a necessidade dos indivíduos desenvolverem sua singularidade, pois neste contexto, não importa quem foi seu avô, nem quem for seu pai, onde você nasceu... é preciso promover o próprio desenvolvimento individual.

Pensar de maneira diferente já é um passo para a singularidade que promove o indivíduo e suas competências. Entender os aspectos que o fazem diferente dos demais e colocar foco neles para transformar carreira, negócios, atitudes, escolhas, permite mais chances de gerar um conjunto de sucesso. Desenvolver a imaginação, a criatividade torna-se cada vez mais importante neste cenário onde se busca igualdade para o coletivo, com singularidade nos aspectos individuais para ganhar destaque no que desejamos e podemos contribuir com o coletivo. Lembrando que sucesso e prosperidade são resultados do que se faz muito bem, focar na singularidade escolhendo as melhores habilidades para contribuir com o coletivo deve ser o caminho de quem deseja se diferenciar. O medo, a insegurança e a baixa estima costumam ser as principais barreiras para aqueles que não conseguem utilizar suas competências para se destacar.

O pensamento de Confúcio “Se queres conhecer o passado, examina o presente, que é o resultado do passado. Se queres conhecer o futuro, examina o presente. É ele que define o futuro”, dá uma boa dimensão do quanto estão equivocados aqueles que atribuem os episódios da sua vida à sorte, ao azar, às pessoas da família, à profissão, à empresa ou aos próximos. Aquilo que se deseja da vida precisa ser buscado, mudado, mantido, com atitude e singularidade.

O que pode diferenciar um indivíduo do outro é o conjunto. Inteligência sem caráter, por exemplo, já deu inúmeros exemplos de que pode levar a caminhos indesejáveis. Criatividade e inteligência sem atitude, ou coragem para sair do campo das ideias para a realização podem gerar mais angústia do que resultados. A humanidade está repleta de exemplos onde o modelo mental das pessoas que se destacam nas artes, nos negócios, na cultura, na pesquisa, nos esportes, na música, dentre outros é mais importante que a inteligência ou o talento.

Lutemos pela igualdade de direitos e acessos, mas sejamos únicos ao buscar o melhor para a vida que desejamos.

Um abraço e até a próxima!