MATÉRIAS RELACIONADAS




Uma reflexão super atual

Fotos: Divulgação

Fotos: Divulgação

PUBLICADO EM 23/10/2018

Imagine você ser mulher, fértil, capaz de gerar um filho (a) se essa for sua vontade, ter um emprego, pagar suas contas, ser independente e, de uma hora pra outra, ter tudo tirado de si e tornar-se propriedade do governo. Imaginou? Pois bem, essa é só uma provinha do conteúdo das mais de 350 páginas do romance distópico O Conto da Aia, obra da autora canadense Margaret Atwood.

Escrito em 1985, o livro voltou a ser destaque nas prateleiras das livrarias e lojas virtuais após o grande sucesso da série “The Handmaid’s Tale”, produção do canal de streaming Hulu, cuja narrativa é inspirada na obra de Atwood. No livro, a personagem June (na pele de Offred) é quem narra a história por meio de sua experiência enquanto aia, vivendo na República de Gilead (antigo EUA), depois que o país passou a ser governado por radicais cristãos, responsáveis por promover uma revolução teocrática na sociedade americana. 

*Confira a dica completa na edição impressa de outubro da Revista Fred Magazine